“Agora que vemos o país engrenar no crescimento, os que estiveram na primeira linha dos sacrifícios devem ser beneficiados da situação do país”, disse o primeiro-ministro, explicando que o país já não vive situação de exceção.





“À beira dele até Jerónimo de Sousa parece um moderado”, disse ainda, antes de Portas subir ao palco, para falar sobre a “nova ideia” de Mário Centeno, coordenador económico do PS: “Querem passar para os privados as cantinas sociais”.




voltaram a marcar a campanha