O primeiro-ministro considerou hoje que a atribuição da pasta da Investigação, Ciência e Inovação a Carlos Moedas é uma «excelente notícia», sublinhando que era uma das primeiras prioridades do Governo.

«É uma excelente notícia», afirmou o primeiro-ministro, Pedro Passos Coelho, em declarações aos jornalistas à entrada para a cerimónia de entrega do Prémio Champalimaud de Visão, a propósito do anúncio de que o comissário indicado por Portugal para o futuro executivo comunitário, Carlos Moedas, vai assumir a pasta da Investigação, Ciência e Inovação.

Revelando que esta pasta era «uma das primeiras prioridades», Passos Coelho sublinhou que se trata também do reconhecimento que a personalidade que Portugal indicou para a comissão europeia «mereceu a confiança» do presidente daquela instituição.

Passos Coelho sustentou igualmente que a pasta atribuída a Carlos Moedas é «decisiva para o crescimento económico e para a geração de emprego mais qualificado nos próximos anos».

Moedas será comissário europeu da Investigação, Ciência e Inovação

«Estas políticas são essenciais para sustentado crescimento da economia europeia e em particular para acrescentar valor ao crescimento económico que nós precisamos de registar nos próximos anos», declarou, acrescentando ser também uma pasta importante para Portugal porque «é uma área muito transversal de toda a política europeia» e tem meios directos próprios de intervenção.

O primeiro-ministro adiantou também que conversou mais do que uma vez com o presidente da Comissão Europeia, reiterando que o facto da Investigação, Ciência e Inovação «era uma das primeiras prioridades».

«Ter coincidido com a escolha que ele próprio fez é evidentemente uma feliz coincidência que me deixa bastante satisfeito», disse.

Questionado sobre as críticas que os partidos da oposição já deixaram sobre a falta de perfil de Carlos Moedas para a pasta que lhe foi atribuída, o primeiro-ministro insistiu que se trata de uma escolha que só pode deixar os portugueses «orgulhosos» de ver que o valor do antigo secretário de Estado «foi também reconhecido justamente para liderar uma pasta tão importante quanto esta».

Passos Coelho lembrou a propósito que a escolha das pastas é sempre feita pelo presidente da Comissão, não existindo propriamente uma negociação entre os Governos e o presidente da Comissão.

«O que posso dizer é que a minha satisfação não podia ser maior em função da escolha que foi anunciada», assegurou.

Também o ministro Poiares Maduro se mostrou satisfeito com a atribuição da pasta a Carlos Moedas afirmando que é uma das «mais estratégicas» e que conta com um dos maiores orçamentos da União Europeia, destacou hoje o ministro Poiares Maduro.

«Esta é uma excelente pasta. Considero que estava entre uma das três melhores pastas. É uma das áreas mais estratégicas e conta com um dos principais orçamentos da União Europeia», afirmou aos jornalistas o ministro adjunto e do Desenvolvimento Regional à margem da reunião do Conselho Nacional para a Economia Social, que decorreu em Lisboa.

O governante reforçou que esta é «das pastas mais importantes», pelo que «satisfaz muito Portugal» e que está convencido que a contribuição de Carlos Moedas nesta área «será importante para a Europa».

E acrescentou: «Portugal e a Europa têm que ficar muito satisfeitos com a atribuição desta pasta».