«O facto de sermos exigentes, como outros governos europeus foram exigentes, quanto à necessidade de o Governo grego manifestar de forma muito clara a sua vontade de cumprir com as responsabilidades que foram contraídas pela Grécia no passado é um dever de exigência natural».




Governo português manifestou através de canais diplomáticos a sua perplexidade





cometeu «uma falha» ao ter acusado Portugal e Espanha de quererem conduzir a Grécia a uma asfixia financeira



a Grécia se deparou «com um eixo de poderes, liderado pelos governos de Espanha e de Portugal