O presidente do PSD, Passos Coelho, sublinhou hoje que, no furto nos paióis de Tancos e no incêndio em Pedrógão Grande, não foi possível "identificar um Governo que governe", criticando o executivo por só servir "para as horas boas".

No espaço de quinze dias, "no coração de políticas públicas que deveriam existir no Estado para garantir a tranquilidade, a defesa e a segurança das pessoas, o Estado falha em aspetos que são essenciais", considerou Pedro Passos Coelho, que falava durante o jantar de apresentação da candidatura de Célia Marques à Câmara Municipal de Alvaiázere, no distrito de Leiria.

Segundo o líder social democrata, nas duas situações, o "Governo só mostrou servir para as horas boas", sendo que, "quando aparece algum imprevisto ou alguma coisa má, o Governo desaparece".

Das duas vezes, vincou Passos Coelho, "não conseguimos identificar um Governo que governe, que tome uma ação decidida, que tranquilize as pessoas, que saiba o que está a fazer".

É isso que mais intranquilidade pode vir a gerar no país: sabermos que, com este Governo, não podemos contar para aquilo que é difícil, para aquilo que é importante, para as horas em que se tem de mostrar liderança política e ação política", disse.