Passos Coelho felicitou o Partido Socialista pela vitória nas autárquicas deste domingo, assumiu a derrota, mas lembrou que as eleições não foram «nacionais».

O presidente social-democrata e primeiro-ministro classificou o resultado do seu partido como «claramente negativo», assumiu uma «derrota eleitoral nacional» do PSD, referindo que o PSD falhou a meta que tinha estabelecido de manter a maioria das presidências de câmara.

«Disse, esta manhã, que estas eleições eram autárquicas e não nacionais, mas, evidentemente, há sempre leituras nacionais a fazer. Registamos uma derrota eleitoral nacional. O PSD tinha colocado como fasquia ganhar as eleições, conquistando a maioria das câmaras, mas, pelo contrário, registou um dos piores resultados. Há sempre um preço a pagar pela forma como estamos na política», afirmou o primeiro-ministro, elogiando o principal opositor: «O resultado não foi o que pretendíamos, o PS conseguiu uma vitória expressiva e quero felicitar o Partido Socialista por isso.»

Porém, apesar da derrota, Passos Coelho prometeu manter o rumo da austeridade. «Como presidente do PSD e primeiro-ministro continuarei a bater-me pelo caminho da recuperação económica e do crescimento e que exigirá ainda decidir matéria com relevo e sacrifícios de futuro. É o caminho que dá para encerrar o programa de assistência financeira e de voltar a crescer. É o caminho que vínhamos trilhando e é o que vamos continuar a trilhar», garantiu.