O primeiro-ministro elogiou os funcionários da Autoridade Tributária e Aduaneira (ATA) pelo «prestígio» dado à instituição e salientou a «eficácia» na máquina fiscal portuguesa.

Em Braga, para a inauguração das novas instalações da empresa de software Primavera, Pedro Passos Coelho realçou a importância de uma máquina fiscal desenvolvida para que o Estado tenha «condições e recursos» para responder aos problemas do país.

«Hoje a eficácia da nossa máquina fiscal deve-se, evidentemente, à forma como os nossos trabalhadores públicos na área fiscal tem conseguido dar prestígio à Autoridade Tributária e Aduaneira. Isso é muito importante e permitam-me que faça esse sublinhado em particular numa altura em que tanto se tem questionado o comportamento da Autoridade Tributaria e Aduaneira», afirmou Pedro Passos Coelho.

A atuação da ATA tem sido «questionada» depois de denunciada a existência de uma lista de contribuintes ‘VIP’, negada pelo secretário de Estado dos Assuntos Fiscais, Paulo Núncio, mas que entretanto levou à demissão do responsável pela ATA, Brigas Afonso.

Segundo o chefe do Governo, Portugal deve «em grande medida» aos trabalhadores do fisco o facto de ter uma ATA «moderna e eficiente».

Passos Coelho referiu ainda a importância de ter uma máquina fiscal eficaz para a condução dos destinos de um país.

«Nós temos, de facto, um sistema bastante desenvolvido e não esqueçam que há países hoje que enfrentam dificuldades muito sérias e muito graves, porque também não conseguem responder pela sua máquina fiscal e é muito fácil exigir muito ao Estado e muito difícil que o Estado tenha condições e recursos para responder a essas solicitações se não tiver uma máquina fiscal minimamente eficaz», explicou.