O primeiro-ministro português felicitou hoje a presidente brasileira, Dilma Rousseff, pela sua reeleição no domingo, reiterando o empenho do Governo luso no aprofundamento das relações bilaterais com «o principal parceiro comercial» na «América do Sul e Central».

«Quero, em nome do Governo de Portugal e no meu próprio, apresentar a Vossa Excelência as minhas sinceras felicitações pela sua reeleição para o cargo de Presidente da República Federativa do Brasil, desejando os maiores êxitos no novo mandato», lê-se na carta que Passos Coelho enviou hoje a Dilma Rousseff e a que Lusa teve acesso.

O líder do executivo de maioria PSD/CDS-PP sublinhou «o empenho» quanto ao «relacionamento bilateral» entre Portugal e Brasil dada a «riqueza de oportunidades existentes», em virtude dos «laços humanos e linguísticos», a «inserção geográfica de cada país» e a «vontade mútua de explorar novas avenidas de cooperação».

«O Brasil é, incontestavelmente, o principal parceiro português na América do Sul e Central. A internacionalização da economia portuguesa tem um sido um eixo prioritário da ação do meu Governo. Desejamos por isso continuar a projetar as grandes empresas, mas também as pequenas e médias, numa lógica de coligação empresarial e cruzamento de vontades com as suas congéneres brasileiras», diz ainda a missiva do chefe do Governo.    

Jerónimo saúda Dilma na «defesa dos interesses das massas trabalhadoras»

Já o secretário-geral do PCP saudou hoje a presidente do Brasil, Dilma Rousseff, pela sua reeleição no domingo, elogiando a «defesa dos interesses das massas trabalhadoras e populares, face aos exigentes e complexos desafios da realidade social e política brasileira».

Para Jerónimo de Sousa, Dilma Rousseff «assume uma grande importância para o Brasil, mas também para toda a América Latina e para o seu contributo na resposta às enormes exigências de soberania, progresso social e paz que a atual situação internacional, em profunda mudança e marcada por uma profunda crise do capitalismo, comporta».

A mensagem de felicitações PCP estendeu-se ao Partido Comunista do Brasil e ao Partido dos Trabalhadores, «destacando a sua importância nacional, regional e internacional». Os comunistas portugueses sublinharam «a vontade» de «estreitar os laços de amizade e cooperação bilaterais».

«Renovada oportunidade» para relações bilaterais

Também o Presidente da República português, Cavaco Silva, felicitou hoje a Presidente do Brasil, Dilma Rousseff, pela sua reeleição no domingo, fazendo votos para que o novo mandato seja «uma renovada oportunidade» para aprofundar as relações entre Brasil Portugal.

«Ao tomar conhecimento da reeleição de Vossa Excelência como Presidenta da República Federativa do Brasil, quero apresentar-lhe, em meu nome e em nome do povo português, as minhas felicitações», refere Cavaco Silva, numa mensagem de felicitações enviada a Dilma Rousseff e disponibilizada no site da Presidência da República na Internet, www.presidencia.pt.

Na mensagem, o chefe de Estado diz estar certo que o novo mandato de Dilma Rousseff «constituirá uma renovada oportunidade para o aprofundamento do relacionamento entre o Brasil e Portugal, no quadro bilateral e multilateral, em particular na CPLP» (Comunidade dos Países de Língua Portuguesa).

«Reiterando-lhe as minhas felicitações, peço-lhe que aceite, Senhora Presidenta, os votos que formulo pela felicidade pessoal de Vossa Excelência e pela prosperidade e progresso do povo irmão brasileiro», refere ainda Cavaco Silva, na missiva. 

Reforçar laços entre «povos irmãos» e dois «partidos políticos»

O candidato do PS a primeiro-ministro, António Costa, felicitou hoje a Presidente do Brasil, Dilma Rousseff, pela sua reeleição, que considerou ser o «triunfo das políticas de inclusão e promoção do desenvolvimento social e económico».

«O trabalho desenvolvido pelo Partido dos Trabalhadores (PT) ao longo destes últimos anos obteve do povo brasileiro o reconhecimento merecido, através deste resultado eleitoral», lê-se na carta enviada por António Costa a Dilma Rousseff, na qual se mostra disponível para «reforçar os laços de cooperação e amizade» entre os «povos irmãos» e os dois «partidos políticos».

António Costa sublinha que a «democracia brasileira saiu reforçada deste processo eleitoral», e considera que a vitória de Dilma representou o «triunfo das políticas de inclusão e de promoção do desenvolvimento social e económico» defendidas pelo PT.

Para António Costa, a ação política da líder brasileira é uma «referência para o Mundo e a América Latina e é exemplar na demonstração de como uma agenda progressista pode promover a melhoria das condições de vida e de bem-estar das populações».