«Quero assumir o resultado eleitoral que PSD e CDS tiveram nesta eleições europeias, foi um mau resultado e perderam estas eleições. É verdade que enfrentamos no país as condições mais adversas que qualquer Governo enfrentou. Mas não dizemos isto para nos queixar, é apenas para explicar que as derrotas precisam de ser contextualizadas. Mas este resultado não me impediu de estar aqui a responder ao pais e aos senhores deputados», disse Pedro Passo Coelho no Parlamento, no debate da moção de censura ao Governo interposto pelo PCP.

O primeiro-ministro aludia ao facto de o líder da oposi

ção, António José Seguro, nãio ter estado presente no debate, no qual o PM aludiu várias vezes ao facto de o PS estar a ser irresponsável ao aceitar esta moção de censura.

«Como é que um partido que se afirmava como um partido defensor do rigor das contas publicas, da necessidade de reduzir o défice, que defendem a economia social de mercado, um espaço de recuperção e crescimento, como é que perfilha este valores e ao mesmo tempo vota favoravelmente uma moção que condena este atos?», questionou, acrescentando: «Não é inoportuno, esta moção é incompreensível».