O presidente do PSD, Pedro Passos Coelho, anunciou esta terça-feira na reunião da Comissão Política Nacional que não se irá recandidatar ao cargo nas próximas eleições diretas, disseram à Lusa, fontes sociais-democratas presentes neste órgão.

Contactada pela agência Lusa, fonte oficial do PSD remeteu uma resposta formal para a intervenção inicial de Passos Coelho no Conselho Nacional, que será aberta à comunicação social.

Na manhã desta terça-feira, reuniu-se a comissão permanente do PSD - o núcleo duro da direção – e, à tarde, a comissão política.

Para as 21:00, está marcada a reunião do Conselho Nacional, num hotel em Lisboa, altura em que Passos Coelho fará uma declaração, aberta à comunicação social.

"Reflexão" concluída

A saída do Passos Coelho no final do seu mandato como presidente do PSD surge após um "período de reflexão" que o próprio anunciou domingo, após os maus resultados nas eleições autárquicas.

Com o previsível abandono da presidência do PSD por Passos Coelho, o antigo presidente da câmara do Porto, Rui Rio, tem sido apontado como um dos candidatos à liderança. O próximo congresso dos social-democratas está previsto para o próximo mês de fevereiro.

Entre as hostes social-democratas, outros nomes têm vindo a ser equacionados para liderar o partido, tendo em vista as legislativas de 2019, casos do eurodeputado Paulo Rangel e do ex-líder parlamentar, Luís Montenegro.

De acordo com os resultados finais das Autárquicas divulgados pela secretaria-geral do Ministério da Administração Interna, o PSD vai liderar 98 câmaras (79 conquistadas sozinho, 19 em coligação), uma perda de oito autarquias em relação a 2013, que já tinha sido o pior resultado de sempre do partido em autárquicas.

Há quatro anos, o PSD tinha conseguido a presidência de 86 câmaras sozinho e mais 20 em coligação, num total de 106.

Em número de votos, o PSD sozinho conseguiu cerca de 831 mil votos, menos três mil do que há quatro anos, apesar de ter havido menos abstenção. Somando as coligações lideradas pelos sociais-democratas, o PSD conquistou cerca de 737 mil votos, número da mesma ordem dos de 2013.