“Não creio que seja fácil a algum primeiro-ministro na Europa dizer ao seu país que se vai perdoar muitos milhares de milhões de euros que fazem falta a essas economia e a esses países”, afirmou Passos Coelho, defendendo que o que se irá tentar fazer será “encontrar uma forma de facilitar o pagamento dessa dívida”.


“Se [encontrar um proposta adequada] couber neste fim de semana há razões para estarmos otimistas e para acreditar que sairemos amanhã de Bruxelas com a ideia de que haverá um terceiro programa para a Grécia” afirmou.




“É preciso que desta vez a solução encontrada seja de facto uma solução”, concluiu o primeiro-ministro.




Europa tem vindo a aprender