O primeiro-ministro, Pedro Passos Coelho, afastou hoje qualquer «horizonte de incerteza política» e afirmou que «o Governo, o que quer que aconteça em Portugal, cumprirá o seu mandato».

O chefe do executivo PSD/CDS-PP manifestou esta certeza depois de questionado sobre os riscos de instabilidade política referidos no relatório do Fundo Monetário Internacional (FMI) sobre a oitava e a nona avaliações do Programa de Assistência Económica e Financeira a Portugal.

«O Governo, o que quer que aconteça em Portugal, cumprirá o seu mandato e irá fazer tudo para que Portugal seja bem-sucedido neste programa», declarou Pedro Passos Coelho aos jornalistas, durante uma visita a instalações da Santa Casa da Misericórdia da Aldeia da Galega da Merceana, no concelho de Alenquer, embora ressalvando em seguida que «claro que nem tudo depende do Governo».

«Temos um orçamento que nos dá a possibilidade de acreditar que seremos bem-sucedidos se cumprir as metas a que nos propusemos. Não há nenhum horizonte de incerteza política quanto à coesão do Governo para atingir este objetivo. Os mercados sabem isto, toda a gente sabe isto», considerou o primeiro-ministro.