O primeiro- ministro, Pedro Passos Coelho, realçou este sábado durante a sua intervenção no Congresso da Economia Social, que decorreu no Estoril, a importância de «valorizar a economia social». Nesse sentido, Passos defende que as verbas estatais e também os fundos europeus devem servir para criar uma «malha de solidariedade mais fina e mais próxima» no país.

«O Governo tem vindo a trabalhar numa série de parcerias, celebradas entre o Estado, as autarquias e IPSS, porque esta é uma função que não cabe a uma só entidade», disse o primeiro-ministro. Passos espera assim um «contributo mais expressivo» deste setor para fazer crescer a economia.

O chefe do Executivo realça que «a coesão social é um dos mais importantes suportes na nossa democracia e, nesse sentido, devemos aumentar a eficácia do investimento no domínio social e adaptá-lo às necessidades que estão em constante mutação».

Depois da sua intervenção, e confrontado pelos jornalistas, o primeiro-ministro recusou comentar a visita da troika a Portugal.