O Partido Socialista do Marco de Canaveses já iniciou o procedimento disciplinar para expulsar mais de duas dezenas de militantes que apoiaram a candidatura independente de Artur Melo, disse à Lusa o líder da concelhia.

Agostinho Pinto disse que estão a ser cumpridos os estatutos, «que são muito claros nestas situações».

A expulsão vai abranger todos «os militantes dissidentes do PS» do Marco de Canaveses que apoiaram, nas autárquicas, o movimento «Marco Positivo», liderado pelo antigo dirigente da concelhia, Artur Melo, que foi o cabeça-de-lista socialista nas autárquicas de 2009.

Vários desses militantes já têm a sua militância suspensa, aguardando a conclusão do processo disciplinar que conduzirá à expulsão, acrescentou o dirigente.

A situação relativa a outros «militantes dissidentes» avançará quando o partido receber as credenciais dos tribunais, um processo que, previu Agostinho Pinto, deverá estar concluído nas próximas semanas.

Ao todo, admitiu, serão abrangidos por processos disciplinares «cerca de 25 militantes».

Para o presidente da concelhia, este processo não está a perturbar a atividade do partido no Marco de Canaveses. O dirigente recorda que, no sábado, haverá eleições para os novos órgãos concelhios, aos quais concorrem duas listas.

O atual líder recandidata-se a mais um mandato, tendo como adversária a atual presidente da Junta de Soalhães, Cristina Vieira.

Com um vereador, o PS é a terceira força no concelho, atrás do PSD, que tem maioria na câmara, e do movimento de Avelino Ferreira Torres, que elegeu dois representantes no executivo.