Um dos fundadores do Partido Socialista, Pedro Coelho, morreu, esta terça-feira, confirmou à TVI o assessor da bancada parlamentar do PS, Luís Rego.

Pedro Coelho fez parte do grupo inicial de fundação do PS composto por Mário Soares e pelos amigos políticos exilados, que ficou conhecido como o “grupo da Alemanha”.

O Partido Socialista  (PS) português foi fundado a 19 de abril de 1973 na cidade alemã de Bad Münstereifel, por militantes da Ação Socialista Portuguesa (ASP) e a convite da Fundação Friedrich Ebert (FES), próximo do Partido Social-Democrata da Alemanha, inspirado por Willy Brandt.

As instalações da fundação foram disponibilizadas a Mário Soares e aos amigos políticos exilados, de que Pedro Coelho fazia parte, para preparar o derrube da ditadura fascista em Portugal.
 

PS expressa profundo pesar


O PS expressou profundo pesar pelo falecimento, aos 75 anos, do antigo dirigente Pedro Coelho, fundador e militante deste partido, e anunciou que a bandeira dos socialistas será colocada a meia haste na quarta-feira.

Numa nota de pesar enviada à agência Lusa, o PS refere que Pedro Amadeu Santos Coelho, "militante número 13 do partido", foi deputado constituinte em 1975 na sequência das primeiras eleições democráticas realizadas em Portugal depois do 25 de Abril de 1974.

"Pedro Coelho foi sempre alguém profundamente ligado aos valores da democracia e do humanismo, quer na sua carreira política, como dirigente do PS, deputado e membro de governos, quer como administrador de empresas e até como dirigente desportivo, tendo desempenhado as mais diversas funções com enorme dedicação e reconhecida competência", refere-se na nota emitida pela direção dos socialistas. 


No comunicado, o PS apresenta as mais sentidas condolências à família e aos amigos próximos de Pedro Coelho, adiantando que, em sua homenagem, a bandeira do partido será colocada a meia-haste na sede nacional durante todo o dia de quarta-feira.