Actualizado às 12h32

A Assembleia da república votou esta sexta-feira vários projectos que visavam acabar com as taxas moderadoras nas cirurgias e internamento e o PS inviabilizou todos. Inclusivé o projecto do Bloco de Esquerda, que já se sabia ir ter os votos favoráveis de cinco deputados socialistas.

Todos os 121 deputados do PS compareceram à chamada e apresentaram-se no hemiciclo, bastando para contrariar os cinco que iam «furar» a orientação de voto.

Manuel Alegre, Teresa Portugal, Júlia Caré, Eugénia Alho e Matilde Sousa Franco votaram favoravelmente o projecto do Bloco de Esquerda, mas não bastou para ultrapassar a maioria.

PS «espera» por Governo

Além do diploma do Bloco de Esquerda foram sujeitos a votos projectos do PCP, PSD e CDS-PP sobre taxas moderadoras.

Na quinta-feira, no final da reunião da bancada do PS, o vice-presidente da bancada socialista José Junqueiro disse que o PS ia recomendar ao Governo uma «avaliação global» das taxas moderadoras para que o regime seja modificado em 2010.

Questionado sobre se o PS obteve a garantia do Governo de que o regime das taxas seria alterado, José Junqueiro afirmou que «existe uma concertação com o Governo na matéria», visando modificações em 2010.