O PSD garantiu hoje o apoio a todas as iniciativas parlamentares necessárias para apurar o que se terá passado no caso da prescrição de procedimentos contraordenacionais contra dirigentes do BCP.

«Na esfera parlamentar tudo faremos para garantir o apoio às iniciativas que se tornem necessárias para apurar tudo aquilo que se terá passado», afirmou o vice-presidente do PSD Marco António Costa, que falava aos jornalistas no final de um encontro com o Presidente da República com vista à marcação das eleições europeias, que se deverão realizar a 25 de maio.

Marco António Costa acrescentou ainda que o PSD «subscreve integralmente todas as palavras» do líder social-democrata em relação ao caso das prescrições, sublinhando que Pedro Passos Coelho foi «o primeiro político a expressar publicamente a sua preocupação».

«Subscrevemos todas as preocupações que sejam no sentido de apurar o que se passou, mas também fomos o primeiro partido pela voz do presidente do PSD e primeiro-ministro a dar uma nota pública dessa incompreensão», sublinhou.

O PS já anunciou que irá requerer a audição no parlamento do Conselho Superior de Magistratura para promover um «apuramento rigoroso dos factos» que levaram à prescrição de procedimentos contraordenacionais contra dirigentes do BCP, enquanto o PCP irá pedir a audição do Banco de Portugal.

Também António José Seguro recusou hoje uma justiça que «protege os poderosos», defendendo o apuramento de responsabilidades na prescrição de procedimentos contraordenacionais contra dirigentes do BCP.