O discurso desta segunda-feira do Presidente da República, nas comemorações do 25 de abril, mereceu elogios de todos os partidos com assento parlamentar.

Nos partidos à direita, há disponibilidade para consensos, mas não a qualquer custo. Já a Esquerda, leu nas palavras de Marcelo, um incentivo para que a oposição tenha uma posição mais construtiva.

"Quando se fala em consensos tem de se saber o seu conteúdo. Da nossa parte, tendo em conta a nova solução política, daremos sempre os consensos àquilo que for positivo para os trabalhadores, o país e o nosso povo", afirmou Jerónimo de Sousa, após a sessão parlamentar comemorativa da "Revolução dos Cravos".

Já o deputado democrata-cristão João Almeida afirmou que o CDS se revê no discurso do Presidente da República, afirmando que o seu partido está disponível para construir consensos e deu como exemplo a reforma da segurança social.

João Almeida considerou que Marcelo fez uma "leitura política atual muito lúcida", frisando que "quem governa tem condições para governar e a responsabilidade de manter a estabilidade dessa governação".

A porta-voz do BE considerou que o Presidente da República, "reconhecendo o que havia para andar, reconhece também o muito que há para fazer", para além de identificar a nova realidade parlamentar e conviver com ela.