O líder parlamentar do CDS-PP quis sublinhar esta terça-feira a forma como a prova de avaliação de professores decorreu «dentro de toda a normalidade» na «esmagadora maioria dos casos», lamentando «incidentes» cometidos «alegadamente por professores» e que advêm de um «certo sindicalismo datado».

«Gostaríamos de sublinhar a forma como a prova correu na larga esmagadora maioria dos casos dentro de toda a normalidade e lamentar incidentes ocorridos nomeadamente em Lisboa e cometidos alegadamente por professores e um comportamento de um certo sindicalismo datado no tempo que prefere o conflito e a coação politica em detrimento do compromisso», disse à Lusa Nuno Magalhães.

O presidente da bancada centrista afirmou que o CDS considera que esta avaliação é «uma decisão de o Governo de cumprir o princípio da igualdade» porque, «se uns professores fizeram este exame, naturalmente, outros também teriam que fazer».

«A avaliação, a nosso ver, não só acontece em todas as profissões como é uma garantia de qual de ensino», declarou sobre a Prova de Avaliação de Capacidades e Conhecimentos.