«Os Verdes» advertiram esta quarta-feira o Governo que estarão contra a adoção de eventuais medidas de caráter «securitário», colocando em causa direitos, liberdades e garantias dos cidadãos, na sequência dos ataques terroristas em França e na Bélgica.

Este aviso foi deixado pelo deputado ecologista José Luís Ferreira após uma reunião com os ministros da Administração Interna, Anabela Rodrigues, e da Presidência, Luís Marques Guedes, na Assembleia da República, sobre medidas preventivas para o combate ao terrorismo.

No final do encontro, que durou cerca de 50 minutos, José Luís Ferreira disse que os membros do Governo apresentaram apenas «uma estratégia muito genérica, tal como era de esperar», também sem um calendário definido.

«Estamos a falar sobre uma matéria muito delicada que exige respostas cautelosas e tomadas com seriedade. Recusamos medidas adotadas à pressa, em cima do joelho, restringindo direitos fundamentais. Se o Governo tomar medidas, tem de fazê-lo com precaução e serenidade», defendeu o deputado de «Os Verdes».

José Luís Ferreira advogou que o Governo se envolva «de forma mais ativa» na União Europeia «nas políticas de paz», tendo em vista «contrariar a tendência para o envolvimento da União Europeia em conflitos bélicos».

«O Governo tem de fazer um esforço de cooperação entre Estados, sendo ou não membros da União Europeia - um reforço que também deve abranger a cooperação entre instituições judiciais dos diferentes países. Portugal não pode cair numa onda securitária, que certamente será aproveitada para restringir direitos, liberdades e garantias dos cidadãos», avisou o deputado de «Os Verdes».

Interrogado se o Governo português está nessa «onda securitária», José Luís Ferreira disse que «os Verdes» não ficaram com essa perceção.

«Não nos pareceu isso, mas vamos aguardar pelas propostas em concreto do Governo», acrescentou.