O Partido Ecologista «Os Verdes» (PEV) acusa o ministro da Educação e Ciência, Nuno Crato, de tratar os professores como «peças de xadrez» e anunciou que vai pedir responsabilidades em sede parlamentar.

«Os Verdes consideram inconcebível que o ministro da Educação trate os professores, colocados nas escolas na sequência de um erro da exclusiva responsabilidade do Ministério, como meras peças de xadrez, cujas vidas manipulam sem qualquer respeito ou consideração, procurando atirar um erro, que é da responsabilidade do Governo, para cima das secretárias dos diretores de escolas», critica o partido num comunicado divulgado este sábado.

Em causa estão as orientações dadas aos diretores de agrupamentos escolares para anularem as colocações de professores do concurso da bolsa de contratação de escolas, deixando docentes já colocados novamente sem colocação.

«Nunca antes se assistiu à colocação de professores, «descolocados» umas semanas depois», dizem «Os Verdes», assinalando que o ministro assegurou no parlamento «que ninguém seria prejudicado com o erro do Governo» e que o ministro não pode «corrigir um erro com outro erro».

O PEV teme «mais desestabilização e atrasos no início do ano letivo» e lembra que «muitos dos professores colocados por via da bolsa de contratação já organizaram as suas vidas e assumiram compromissos para este ano letivo, nomeadamente celebrando novos contratos de arrendamento e veem-se, agora, novamente no desemprego».

Os «Verdes» comprometem-se, por isso, a pedir, com caráter de urgência, responsabilidades ao ministro em sede parlamentar.