Manuela ferreira Leite criticou violentamente esta quinta-feira à noite, na TVI24, o corte de dez por cento nas reformas dos funcionários públicos.

E acrescentou: «Não duvido que evidentemente que isto vai atingir todos os reformados e não apenas os da função pública». A antiga ministra das finanças teme ainda que a medida se estenda aos reformados do setor privado.

«Um governo comunista não tem uma decisão muito diferente desta em relação aos reformados», concluiu a antiga ministra das Finanças, «lamentando muito que haja um partido social-democrata e democrata-cristão que subscreva esta medida».

Manuela Ferreira Leite disse ainda que o corte nas pensões é imoral, inaceitável e chocante.

O corte das pensões «é profundamente imoral», frisou. «É absolutamente inaceitável e imoral a retroatividade». Cortes reversíveis «é brincadeira de mau-gosto» e «impensável», acrescentou.

A comentadora explicou também que «a tabela das idades é chocante. Vai afetar toda a gente a começar pelas de 90 anos».

Ferreira leite defendeu que a sociedade não pode aceitar esta agressão aos reformados da função pública, porque o corte das pensões é um «caso dramático e gritante de algo que não pode ser feito».