Constança Cunha e Sá considera que «só um Presidente que é completamente irresponsável é que pode estar contente com o que está a acontecer».

Mas enquanto na quarta-feira «pregou um ralhete aos partidos», desta vez «aparece a dizer que respeita todos os partidos». «Acontece que ele tirou o tapete aos partidos» e «tem havido uma menorização dos partidos da governação», aponta a comentadora de política da TVI.

E «estes partidos só se prestaram a isso porque eles próprios reconhecem que não têm credibilidade», diz Constança Cunha e Sá rematando que «o Presidente esquece-se que ele também não tem credibilidade».

«O presidente diz que está otimista. Eu não vejo razão nenhuma para ele estar otimista. Acho uma irresponsabilidade enorme ele dizer se isto não der em nada, paciência, respeito. Não! Se isto não der em nada há aqui responsabilidades a assumir», diz.

Constança Cunha e Sá afirma que o que «o Presidente criou foi uma enorme confusão e um diálogo de surdos» frisando que «o entendimento em relação ao essencial tem de ser baseado em iniciativa própria e não em imposição do Presidente da República».

A comentadora da TVI considera também que «já há aqui um perdedor em toda a linha» que «é António José Seguro», pois, «qualquer cedência que faça» nesta negociação» já é «caucionar» um Governo que «o próprio considerou moribundo».