Constança Cunha e Sá diz que os últimos relatório do FMI e da Comissão Europeia sobre Portugal vêm contradizer o primeiro-ministro.

«Desfazem toda a narrativa de sucesso que o Governo tem vindo a construir em cima dos chamados sinais positivos. O FMI foi demolidor em relação às exportações e à ausência de reformas. A Comissão Europeia foi um pouco mais cuidadosa, mas disse que as reformas estruturais têm de ser revistas, que se calhar não foram bem implementadas. Fala de uma coisa gravíssima, diz que há uma fragilidade extrema na economia e que essa fragilidade é estrutural, ou seja, a miragem de Passos Coelho de que tinha mudado o perfil estrutural da economia, esfuma-se nestes dois relatórios. No fundo, o que tanto FMI como Comissão Europeia vêm dizer é que os sinais positivos da economia têm pés de barro, não assentam em nada de sustentando e que as reformas essenciais estão por fazer», defendeu a comentadora da TVI24, nesta quinta-feira.