Marcelo Rebelo de Sousa diz que o Governo adotou uma estratégia «sofisticada» no que respeita às medidas anunciadas que podem trazer alguma vantagem ao bolso dos portugueses. Para o comentador da TVI, Passos Coelho já está em campanha para as europeias deste ano e para as legislativas em 2015.

«O Governo não está a tomar decisões em véspera de eleições, está a fazer uma coisa mais sofisticada que é anunciar decisões em véspera de eleições para retirar vantagens [nas europeias] e vai tomar as decisões antes das próximas eleições [legislativas] para retirar segunda vantagem das medidas. Agora, não percebo por que é que António José Seguro protesta. A vida é como é. Se ele fosse primeiro-ministro, provavelmente, fazia o mesmo. Seria uma ilusão pensar que o Governo não iria - com a hipótese de o fazer, com uma saída limpa, com os juros como estão, com uma almofada em termos de execução orçamental - baixar um bocadinho o IRS, que não fosse baixar os preços da energia, que não fosse tomar medidas eleitorais. José Sócrates também tomou e algumas muito discutíveis no ano eleitoral de 2009. Isto afeta ou não a economia portuguesa? Só significa uma coisa, que a campanha eleitoral já começou. A deste ano e a do ano que vem. E o primeiro-ministro já está noutra onda, já não é bem que se lixem as eleições e sim vamos ver o que podemos fazer para ganhar as eleições», afirmou Marcelo Rebelo de Sousa, neste domingo, em direto de Roma, onde se deslocou para assistir à canonização dos papas João XXIII e João Paulo II.

«PR tenciona fazer algo mais para o consenso ou não vai tentar mais?»

«O que se passou na AR e no Largo do Carmo foi uma oportunidade perdida»