Constança Cunha e Sá analisou os resultados finais da eleições europeias deste domingo e, ainda que reconheça uma derrota histórica para PSD e CDS, não reconhece uma vitória com mérito para o Partido Socialista.

No comentário habitual na TVI24, Constança afirma que os 27,7% conquistados pela coligação PSD e CDS, «Aliança Portugal», significam que existiu, de facto, uma «derrota histórica», pois nem em 2004, quando os partidos, também coligados, concorriam contra Ferro Rodrigues conseguiram um resultado tão baixo.

No entanto, a comentadora da TVI24 afirma que o Partido Socialista não pode, com estes resultados, «cantar vitória», porque uma vez que a coligação «Aliança» só teve 27% dos votos, o PS deveria «ter-se aproveitado» e conseguido resultados superiores.

«O Partido Socialista perante este resultado [da Aliança], 27%, consegue a habilidade máxima de não passar dos 31%. Numa altura em que temos a maior derrota de sempre dos partidos da coligação e o PS não capitaliza, fica em 31%, é um resultado desastroso. (¿) [Por isso] ver António José Seguro na noite das eleições a cantar vitória é no mínimo surrealista, porque isto é uma vitória que não vai servir para coisa nenhuma», afirmou a comentadora.