Manuela Ferreira Leite considera que o Orçamento Retificativo, aprovado esta quinta-feira na generalidade na Assembleia da República, mostrou «que não era necessária tanta austeridade», como o aumento de impostos ou os cortes nos salários e pensões.

«Este retificativo teve o condão de demonstrar que não era necessária tanta austeridade, tantos impostos e cortes, para se atingir o défice que se pretendia. É uma grande lição, é de grande importância. Veio confirmar que os cortes previstos na despesa não levaram à necessidade de aumentar impostos ou de agravar o défice», afirmou, na TVI24.

Para a ex-líder do PSD, este orçamento contém «uma fórmula que mostra que não havia necessidade de cortar pensões e salários, porque esses cortes só faziam sentido com o objetivo de cumprir o défice, mas afinal o défice é cumprido na mesma sem se aumentar os cortes e os impostos».