Marcelo Rebelo de Sousa diz que o programa cautelar deve começar a ser negociado logo no início do ano e por iniciativa do Governo português. O comentador da TVI defende também que não pode haver negociação sem envolver o PS.

«[A negociação do programa cautelar deve começar] o mais depressa, a partir do começo do ano que vem, sobretudo porque a iniciativa deve pertencer ao Governo português e não à União Europeia. A UE não está interessada no resgate a Portugal e numa crise que complique as coisas no país. O Governo deve portanto liderar os acontecimentos», afirmou Marcelo Rebelo de Sousa, neste domingo, no Jornal das 8.

«Acho que o PS deve estar envolvido. Aliás foi uma originalidade do primeiro-ministro achar que o PS não devia estar envolvido. Serve para o IRC e não serve para o que é mais importante para o país. Até para defender José António Seguro, o PS deve estar informado, todo o Parlamento, todo o país deve ser informado sobre o que se passa com o programa cautelar. O PS tem uma palavra importante a dizer e o Presidente da República não pode deixar de exigir isso», argumentou ainda.

Chumbo TC: «Governo está a experimentar e corre um risco»