Marcelo Rebelo de Sousa diz que o governo já devia estar a acordar com o PS a forma como Portugal vai sair do programa de ajustamento

No habitual comentário de domingo, o professor disse ainda que seria escandaloso se o governo anunciasse a forma como vai deixar o programa da troika em plena campanha eleitoral para as Europeias.

«Há um problema eleitoral. Eu acho que a decisão, qualquer que seja, não pode ser uma decisão em que pese o fator eleitoral», disse, salientando que «não pode ser um momento que coincida com campanha eleitoral».

«Eu acharia escandaloso que fosse em plena campanha eleitoral, porque é óbvio que funciona em benefício do governo», afirmou.

Marcelo Rebelo de Sousa diz que os anunciados fundos comunitários de 22 mil milhões de euros para julho vão ser muito importantes para o relançamento da economia portuguesa. O ex-líder do PSD lembrou que o dinheiro vai ser usado até 2020 pelo que no caso português envolverá três governos diferentes.

Marcelo Rebelo de Sousa estranha ainda o silêncio da esquerda sobre o 25 de abril. A dois meses de se assinalar os 40 anos do dia da liberdade, o professor avançou na TVI algumas explicações para o aparente desinteresse dos portugueses.