Marcelo Rebelo de Sousa revelou este domingo, na TVI, que Portugal deverá sair do programa de ajustamento financeiro com um Mecanismo de Acompanhamento Reforçado (MAR).

«Começa a haver nos sectores económicos uma palavra que eu ouvi três ou quatro vezes, dita baixinho, que se chama MAR, quer dizer Mecanismo de Acompanhamento Reforçado. É a tal saída limpa, mas controlada, supervisionada. Portanto é uma saída com a partida da troika, mas em que a troika vem cá de três em três meses», disse no Jornal das 8 da TVI.

O ex-líder do PSD explicou que este «é um mecanismo que prossupõe um acompanhamento reforçado porque significa que vai um bocadinho além do que uma saída limpa pura e com a possibilidade se tivermos aflitos recorrer a uma linha de crédito europeia».

Marcelo Rebelo de Sousa disse ainda que o MAR «é uma visão atlântica suave e doce de um programa cautelar».

Sobre o consenso político pedido por Passos Coelho, Marcelo Rebelo de Sousa defendeu que «logo a seguir» às eleições Cavaco Silva deveria chamar os partidos para encontrar um consenso.

Marcelo Rebelo de Sousa comentou ainda a coligação PSD/CDS-PP e defendeu que «O PSD teve de pagar alguma fatura ao CDS»