Manuela Ferreira Leite não acredita na proposta do primeiro-ministro, Pedro passos Coelho, que o país caminha para o «pleno emprego», mas afirma que a oposição não deve menosprezá-lo, pois foi este executivo que terminou com sucesso o programa de resgate.

No comentário semanal do programa «Política Mesmo», da TVI24, Ferreira Leite criticou a ideia de Passos Coelho e até recorreu a uma comparação com uma top-model para explicar a sua inviabilidade.

«Um compromisso para um pleno emprego... Eu acho que qualquer mulher queria ser igual à Claudia Schiffer, mas acontece que isso não existe, da mesma foram que eu acho que não existe essa história do pleno emprego».

O líder socialista, António José Seguro, também não escapou às críticas da comentadora da ex-presidente do PSD, em especial às suas propostas para incentivar o crescimento económico.

«Numa perspetiva de crescimento e de evolução futura do país, [não entendo] que o secretário-geral do partido socialista não se tenha apercebido que o discurso agora não é medidas, é um projeto para o país. Eu acho que ele faz um discurso desfasado da realidade, são medidas desgarradas cujo conjunto dentro do mesmo contexto não fazem sentido».

Já quanto ao «Estado da Nação», a comentadora não vê grandes mudanças, mas ressalva o trabalho do executivo.

«Nem está melhor, nem está pior, estará mais ou menos igual que há um ano. Mas há um ponto indiscutível, quando este governo tomou posse, Portugal estava sobre um programa de resgate, neste momento já não está e isso só pode ser a crédito do governo. Não deve a oposição menosprezá-lo, secundarizá-lo e não o considerar como válido», afirmou.