Constança Cunha e Sá considerou esta noite, na TVI24, que Passos Coelho vai ter que, apesar das férias, explicar aos portugueses a ajuda do Estado ao BES.

A comentadora da TVI24 lembrou que «de há uma semana para cá» que defende que «é óbvio que o Estado teria que acorrer ao Espírito Santo». Constança Cunha e Sá lembra que Passos Coelho garantiu, a 11 de julho, que «os contribuintes não seriam chamados a resolver os problemas dos privados», uma declaração que considerou ser «populista».

«Sempre achei que o primeiro-ministro se tinha precipitado quando tinha dito aquilo, tinha sido uma frase demagógica da qual se iria arrepender e que iria ter que engolir esse sapo», disse.

Constança diz ainda não perceber como foi possível não entender que era necessário uma «ação imediata», lembrando que «não basta Vítor Bento fazer comunicados».

Por fim, a comentadora da TVI24 defendeu que Passos Coelho «vai ter que explicar muito bem explicadinho» aos portugueses «como é que disse uma frase tão taxativa» e vai fazer o contrário.

«Quero ver como é que o primeiro-ministro descalça essa bota e vai explicar aos portugueses que é afinal é com dinheiro dos contribuintes que se vai ajudar o banco», disse.