Constança Cunha e Sá criticou, esta quarta-feira, o otimismo que paira em torno do Orçamento Retificativo, aprovado na terça-feira. Na véspera do dia em que o documento vai ser apresentado no Parlamento, e em que vão ser conhecidas as medidas concretas, a comentadora chamou a atenção para a falta de crescimento económico e sublinhou que não há milagres.

«Até aqui, este Orçamento Retificativo é um poço de surpresazinhas boas, não há nada bom que não aconteça neste Orçamento Retificativo», começou por ironizar Constança Cunha e Sá.

A comentadora referia-se à notícia de que o Orçamento Retificativo não traz aumento de impostos, depois a notícia de que a derrapagem da despesa vai ser coberta pela diminuição das prestações sociais e, por último, a notícia de que o Governo vai aproveitar o Retificativo para rever em baixa a previsão do desemprego.



Perante tantas notícias «boas», sublinhou Constança Cunha e Sá, falta saber se o Governo vai aproveitar o Orçamento Retificativo para rever ou não a previsão do crescimento económico que era de 1,2%.

«Diminuição das prestações sociais, diminuição do desemprego... Olhamos para isto e quase que podíamos dizer que 2014 é o ano do milagre económico. Só que há aqui um pequeno problema: ao milagre económico não corresponde crescimento económico, o que é um milagre muito sui generis porque não há milagres, nesse caso», defendeu. «A verdade é que tanto a situação portuguesa como a situação europeia não auguram nada de bom em matéria de crescimento», concluiu.