«A OCDE é mais um organismo a confirmar que o Orçamento do Estado para 2014 é uma ficção que foi encenada pelo Governo português e pela troika», considera a comentadora política Constança Cunha e Sá, na TVI24. «Só o Governo e troika é que considera que as metas previstas são atingíveis», sublinha.

Recorde-se que a OCDE considera que Portugal vai falhar em todas as frentes: menos crescimento, défice maior e dívida mais pesada do que aquele que foi previsto pelo Governo e pela troika.

«Nem o OE vai ser cumprido, nem o pós-troika vai ser esse maravilhoso cenário que o Governo nos traça», considera. Para Constança Cunha e Sá, o que Portugal tem pela frente é «mais austeridade sobre mais austeridade» e a previsão pessimista da OCDE é a prova de que esta entidade internacional não acredita no aumento da procura interna. «Como é que o Orçamento de 2014, com os cortes que tem sobre os rendimentos das pessoas, nomeadamente entre pensões e vencimentos, vai aumentar a procura interna...», questiona a comentadora.

Pelo caminho que a economia está a caminhar, Constança Cunha e Sá não tem dúvidas de que «só um doido» é que acredita que Portugal não vai precisar de um novo programa cautelar.