Francisco Assis discorda do PS e defende que o Governo tem legitimidade para negociar um programa cautelar. Na TVI24, nesta quinta-feira, o socialista diz que o PS deve ser «prudente». Já Paulo Rangel entende que o maior partido da oposição não consegue ser claro, enquanto João Semedo pede eleições antecipadas.

«Um plano de resgate levaria a que a solução mais razoável passaria por eleições legislativas. Já em relação a um eventual plano cautelar não se devem fazer declarações com caráter definitivo», afirmou Francisco Assis.

Já o eurodeputado social-democrata apontou o dedo ao Partido Socialista. «O PS não é capaz de ter uma posição clara», criticou.

«Qualquer mudança substancial não pode deixar de ser previamente decidida por eleições», acrescentou o coordenador do Bloco de Esquerda.