Augusto Santos Silva deixou esta terça-feira, na TVI24, um ataque violento contra o Ministério Público e os juízes de instrução criminal. O ex-ministro do Governo de José Sócrates acusou o MP de distorcer factos e orquestrar condenações nos jornais.
 

«O que me parece é que nós estamos a funcionar ao contrário, em particular o nosso Ministério Público, mas também alguns dos nossos juízes de liberdades, os juízes de instrução criminal e as suas organizações representativas contam-nos uma história e essa história é: “estamos num país corrupto, as instituições políticas estão corrompidas, a promiscuidade, os interesses e a política andam de braço dado”. E depois vão tentar encontrar factos para dar corpo a essa história e quando os factos não coincidem com a história, o que é que o Ministério Público faz? Distorce os factos e quando percebe que os factos que tem não condena quem quer condenar, o que é que faz? Orquestra condenações através dos jornais», disse.


O comentador da TVI admitiu que tinha consciência das acusações violências que estava a efetuar.

«Eu sei que estou a dizer coisas muito violentas, mas é o que eu sinto», disse. 

Augusto Santos Silva comentava os casos de corrupção que envolvem políticos, mas recusou que as declarações em causa tivessem como «subtexto» o ex-primeiro-ministro, José Sócrates, detido preventivamente por suspeitas de corrupção.