Marcelo Rebelo de Sousa considera que não há condições para fazer mais cortes nas pensões. No comentário de domingo, no «Jornal das 8» na TVI, Marcelo Rebelo de Sousa arrasou o secretário de Estado José Leite Martins, que promoveu um encontro com jornalistas, adiantando-lhes alguns pormenores sobre futuros cortes nas pensões.

Para o comentador, o caso foi grave porque, por um lado, «não se brinca com a questão das pensões» e, por outro, a atitude do secretário de Estado revela existir «descoordenação política no Governo». Uma coordenação que deveria ser assegurada pelo ministro Miguel Poiares Maduro, «que anda a apanhar bonés», afirmou Marcelo Rebelo de Sousa.

A crítica do comentador da TVI não passou só pela forma como José Leite Martins decidiu difundir a notícia, mas também pelo momento em que o fez. É que, recordou Marcelo Rebelo de Sousa, «naquele dia os juros da dívida estavam abaixo dos 4%», algo que foi salientado na imprensa internacional, «e um secretário de Estado resolveu falar sobre cortes nas pensões».

Questionado sobre se José Leite Martins tem condições para continuar em funções, Marcelo Rebelo de Sousa ironizou: «Todos têm. (...) Até o ministro Marques Guedes, que veio a público dizer que declarações de uma fonte das Finanças não vinculam o Governo». «Então, vincula quem?! O contínuo?», perguntou ainda o comentador da TVI.

Este episódio só «ajuda António José Seguro a conseguir uma vantagem de 8 a 9% nas próximas eleições europeias», concluiu Marcelo Rebelo de Sousa.

«Durão Barroso decidiu dar um tiro a si próprio»

«Só vai para a Função Pública quem não tem lugar no privado»