Augusto Santos Silva defendeu que a ministra das Finanças cresceu em relação a Paulo Portas dentro do Governo, mas que a sua posição como ministra fica enfraquecida com a polémica em torno dos swaps.

«Ela hoje foi bastante combativa. Ela terá marcado pontos no interior da coligação, onde como todos nós sabemos a sua posição é muito frágil», disse.

«Maria Luís Albuquerque consolidou e tornou mais difícil hoje a sua substituição no Governo, consolidou a sua posição no Governo, isto é, cresceu face a Paulo Portas, que é também disso que se tratava hoje», explicou o ex-ministro.

«No que diz respeito ao país e à sua própria posição política, como ministra de Estado e das Finanças, eu acho que esta é uma sombra que a vai acompanhar, uma nódoa que não se apaga facilmente mesmo com a melhor das benzinas», defendeu Santos Silva.