Augusto Santos Silva considerou que Pedro Passos Coelho deveria ter apresentado as medidas de apoio à natalidade no plano nacional e não no âmbito partidário.

«Decidiu lançar esta iniciativa no quadro partidário quando ele próprio é primeiro-ministro. Se ele quisesse lançar um debate em termos nacionais, criando condições para a concertação social e para o debate parlamentar, podia ter lançado este debate no âmbito do Governo. Não sei se o fez para preparar o próximo programa eleitoral ou não», afirmou.

No programa «Política Mesmo», na TVI24, esta terça-feira, o comentador disse que assim esta iniciativa é «um truque partidário, com cheirinho a eleições».