Marcelo Rebelo de Sousa defendeu, este domingo, no Jornal das 8 da TVI, que o Governo não podia ter dado duas ordens diferentes na mesma semana, referindo-se à reação do ministro Poiares Maduro e à decisão oficial do Governo sobre a interpretação do Governo sobre o chumbo do TC ao corte nos subsídios.

«Isso não pode ser: ordem contra ordem é desordem e o Governo continua em desordem nessa matéria», disse Marcelo Rebelo de Sousa.

O professor de Direito defendeu ainda que o Governo não deve ter opinião sobre a Constituição. «Não pode o primeiro-ministro e todos os ministros converterem-se em constitucionalistas e passarem os dias a opinarem sobre o direito constitucional e a opinião dos juízes», disse, lembrando que: «A mesma Constituição permite várias leituras e a leitura do Tribunal Constitucional tem de ser mais previsível, do que na última decisão, porque não foi muito previsível. Eu posso dizer isso, o primeiro-ministro não deve dizê-lo.»

Marcelo Rebelo de Sousa comentou ainda a «guerra» no PS, salientando que no PS «não podem andar a chamar-se nomes», mas destacando que para a direita é música celestial.

O comentador da TVI revelou ainda, em dia de jogo de Portugal, que a sua neta entrevistou Pepe depois da cabeçada que levou à expulsão no jogo com a Alemanha.