Constança Cunha e Sá disse, esta quinta-feira, que o «saque enorme» do Governo sobre os reformados «é inaceitável». No dia em que o Orçamento Retificativo foi aprovado em Conselho de Ministros, a comentadora da TVI24 criticou o alargamento da Contribuição Extraordinária de Solidariedade (CES) para todos os pensionistas com reformas a partir dos mil euros e que sofrem um corte de 3,5%. Para Constança Cunha e Sá, essa é mais uma prova de que a classe média é «sucessivamente esmagada», tanto a nível das pensões como a nível dos ordenados.

«Penso que é no mínimo extraordinário que o ministro da Segurança Social venha dizer que 90% dos pensionistas não são abrangidos por esta norma, porque isso significa que há 10% de pensionistas que leva com tudo isto em cima, que levam com taxas de todo o lado», disse a comentadora no espaço de análise nas «Notícias às 21:00».

«Este saque enorme sobre os reformados é perfeitamente inaceitável. E é inaceitável que o Governo venha dizer que 90% das pessoas não pagam (...) No fundo, o que o Governo diz é que 90% dos reformados recebe pensões inferiores a mil euros e o Governo acha isso ótimo. Para não falar da percentagem imensa que recebe abaixo do salário mínimo, e isso é apresentado como um trunfo, em vez de ser apresentado como uma vergonha que de facto é (...) Quer dizer, os que vivem na miséria podem estar contentes porque ninguém lhes toca?!», acusou.