Marcelo Rebelo de Sousa criticou Passos Coelho por falar em possíveis coligações pós-eleitorais, esquecendo-se que está no Governo com o CDS.

«Estamos abertos a fazer governo com qualquer partido do arco da governação, o que inclui além do CDS, o PS. Primeiro problema, ele está no Governo com o CDS. Segundo problema, está a disputar o partido em que é líder numas eleições em coligação com o CDS. Talvez não seja a melhor ocasião para ele dizer "olhe, para mim tanto se me faz. Não é tanto se me faz, mas se tiver que ser é com CDS ou com PS ou com os dois. É o que for". Não é talvez a ocasião para dizer isso», afirmou o comentador da TVI.

Marcelo Rebelo de Sousa falou ainda sobre as declarações polémicas de Mário Soares sobre a falta de direitos humanos em Portugal.

«Eu penso que Mário Soares se prejudica porque exagera», disse o comentador.

Já quanto a António José Seguro, Marcelo Rebelo de Sousa afirmou que o líder do PS não pode fazer promessas sobre impostos a um ano e meio das eleições.

«Como é que um ano e meio das eleições legislativas o homem fala nos impostos e nos salários da função pública. Não tem de falar. Não pode prometer», concluiu.