Marcelo Rebelo de Sousa aconselhou o Governo a não ser muito otimista com os números mais recentes do desemprego e do turismo ao mesmo tempo que anuncia mais cortes.

«Espero que Passos Coelho resista à tentação de embandeirar em arco no discurso do Pontal para a semana, ao mesmo tempo que corta 10% aos pensionistas... As boas notícias têm que ser geridas», disse.

Sobre os cortes nas pensões, o comentador considera-os «necessários para equilibrar o défice», mas «muito fortes».

«As subvenções dos políticos e outras pensões privilegiadas... era por aí que se devia começar. Sobre as exceções dos juízes e diplomatas, devem explicar muito bem que estes já tiveram o corte. E é incompreensível que os subsídios dos juízes do Tribunal Constitucional continuem», resumiu.

Sobre o Conselho de Ministros que analisou estes cortes, Marcelo sublinha que a relação da coligação «não melhorou muito depois da remodelação». «Se tivesse tudo a correr muito bem e fosse pacífico, o primeiro-ministro não interromperia as férias».