Marcelo Rebelo de Sousa acredita que a escolha de Maria Luís Albuquerque para a pasta das Finanças foi «um erro de cálculo» de Passos Coelho, «que não saiu pior porque Paulo Portas atuou da pior forma possível».

«Portas obteve uma vitória com a saída de Vítor Gaspar e outra com a sua passagem para número 2 do Governo. Ser ele a escolher, por exemplo, Paulo Macedo, era uma vitória excessiva. O primeiro-ministro não quis dar uma vitória total a Portas e ao CDS», disse, na TVI.

Sobre a demissão de Gaspar, o comentador destacou o «mea culpa» em forma de «justificação para a história» e a «crítica à falta de coesão do Governo e de liderança do primeiro-ministro».