Augusto Santos Silva admite que o Governo pode aproveitar o ano em que se realizam eleições legislativas para reduzir os impostos.

«Se Deus ajudar, até haverá redução de impostos. 2015 é o ano», afirmou, com ironia.

Sobre o Orçamento Retificativo, o comentador afirmou que «ainda há aqui muita fantasia e muita nuvem», que espera que sejam dissipadas.

«Se havia tanta folga do lado do controlo da despesa, por que insistia o Governo nos cortes nas pensões e salários da Função Pública? Como é possível haver folga do lado da despesa nos grandes ministérios, quando podemos ver o limite em que estão a funcionar os hospitais ou as escolas?», questionou.