Marcelo Rebelo de Sousa não deixou dúvidas no seu habitual comentário ao domingo à noite na TVI quanto ao que vai acontecer a Portugal depois do final do programa de ajustamento da troika. «É quase impossível que não seja uma saída limpa. Por uma razão muito simples: a União Europeia quer uma saída limpa», considerou.

«Isto [saída sem programa cautelar pós-troika] já está na cabeça do Governo. Isto vai ficar claro entre o final de Março e o princípio de Abril», afirmou também o professor, acrescentando: «Portanto, antes da campanha eleitoral para as eleições europeias».

Quanto a uma eventual descida de impostos, Marcelo Rebelo de Sousa também foi claro, salientando que «não pode ser antecipada».

Tragédia do Meco

Já sobre a questão dos estudantes da Universidade Lusófona que morreram no dia 15 de Dezembro no Meco, o comentador da TVI considerou que a carta registada enviada às famílias das vítimas a informá-las da missa de homenagem foi uma decisão «fria». Marcelo Rebelo de Sousa disse igualmente ter achado estranha «a falta de estudantes» naquela ocasião.

O professor referiu-se ainda à entrevista de Judite Sousa ao pai de Tiago Campos, José Carlos Campos, uma das vítimas do Meco. «Estava a ouvir o pai do Tiago e estava ao mesmo tempo com muita pena. Foi uma entrevista muito emotiva. Nós temos pena sempre que ouvimos um pai ou uma mãe que perderam um filho naquela idade», sublinhou.

Por outro lado, Marcelo Rebelo de Sousa falou ainda das expulsões de militantes do PSD, nomeadamente sobre a de António Capucho. «É um histórico. É um valor político importante na área social-democrata», afirmou, acrescentando, porém, que Capucho «foi coautor dos estatutos» daquele partido político.

Parvalorem explica-se a Marcelo

A Parvalorem enviou explicações a Marcelo Rebelo de Sousa sobre a venda dos quadros de Miró. A empresa pública que gere os ativos do BPN, incluindo estas obras, cujo leilão foi suspenso pela Christie's depois de levantadas questões legais, enviou uma carta ao comentador da TVI, em que «confessa que ficou surpresa e desagradada» com as afirmações de Marcelo Rebelo de Sousa e explica o que se passou.