Manuela Ferreira Leite desvaloriza o aumento da dívida pública para os 132%. Para a antiga ministra das Finanças, o verdadeiro problema será quando a dívida tiver de ser reduzida para 60% do PIB.

«Quando a dívida está na ordem dos 130% do PIB e deveria estar, de acordo com o tratado orçamental, aliás, vai ter de estar, nos 60%, eu fico pouco impressionada com os mais 2% ou menos 2%. O problema está lá e de uma forma pesadíssima. Eu acho que isto ainda não define nenhuma tendência. Tanto para os aspetos positivos como negativos, devíamos ter alguma prudência e, efetivamente, reagir quando as tendências fossem definidas», afirmou a comentadora da TVI24, nesta quinta-feira, no programa Política Mesmo.