Augusto Santos Silva considera que a prova de avaliação dos professores parece «quase um teste psicotécnico de quarta categoria». «Nem incide sobre os conhecimentos, nem tem em conta a diversidade e especificidade das diferentes formações dos professores», apontou.

Para o comentador da TVI24, o ministro Nuno Crato «transformou isto numa espécie de teimosia». «Tinha de haver uma prova, qualquer que fosse, com qualquer interesse ou relevância, apenas para dizer que a conseguiu fazer apesar da oposição dos sindicatos», criticou.

«Para o objetivo dele, de forçar a realização da prova, conseguiu uma vitória com este truque que me parece bastante ordinário, mas o preço que pagamos por esta pequena vitória tática é o absoluto descrédito da prova de acesso», concluiu.



Santos Silva criticou, ainda, a avaliação da Fundação da Ciência e Tecnologia que vai decidir a atribuição das das bolsas das entidades portuguesas de investigação científica.

O comentador acusa a FCT de encomendar a avaliaçãoà Fundação Europeia para a Ciência, com a garantia de que metade das instituições avaliadas fossem excluídas à partida.