Marcelo Rebelo de Sousa considera que o discurso de Passos Coelho na festa do Pontal teve altos e baixos. «Como projeto, um bom projeto, como concretização falhou em três pontos: o tom, a extensão, e o Tribunal Constitucional, que foi o único ponto que ficou».

«O 'homem' falou 40 minutos. Passos devia escolher quatro ou cinco ideias fundamentais e metê-las em 20 ou 25 minutos. Ele tem a deformação do analista ou do professor que não foi, que gosta de explicar tudo em pormenor», disse o comentador da TVI.

Como consequência, o TC acabou por ser o único ponto que ficou do discurso, embora fosse um dos pontos e aí eu não teria tratado o assunto como ele o tratou». «Coragem não falta a Passos Coelho, o problema é saber se é uma coragem sensata e eficaz, ou não». «Coragem é importante, masporque é que ele ao colocar a questão a coloca como um risco? Há um risco Constitucional? Não faz sentido».

No Jornal das 8, Marcelo realçou ainda que o primeiro-ministro teve em conta o bom e o mau da economia neste momento, o que lhe conferiu uma postura otimista e, ao mesmo tempo, cautelosa.