Constança Cunha e Sá considerou que os prejuízos do BES, revelados esta quarta-feira, são «inéditos em Portugal» e brutais. A comentadora da TVI defendeu que «não há almofada financeira que cubra» os prejuízos de mais de três mil milhões de euros.

«Três mil milhões de euros, onde é que já vai a almofada financeira? Não há almofada financeira nenhuma que cubra isto», disse, lembrando que mesmo as «previsões mais pessimistas» não previam os prejuízos «brutais».

Constança Cunha e Sá defendeu ainda que o discurso do Banco de Portugal de que o BES e o GES não são a mesma coisa «não cola com a realidade. O BES está intimamente ligado ao GES», disse.

A comentadora da TVI questiona ainda o desconhecimento do caso e afirma que a «regulação não funcionou», tendo em conta os resultados conhecidos. «Como é que isto tudo foi possível? Não funcionou o Banco de Portugal, a CMVM. Não se chega a este prejuízo de um dia para o outro», disse.