Constança Cunha e Sá considera que o presidente da república «não aceitou a solução sólida que lhe foi apresentada» pelos líderes do PSD e CDS-PP e disse que «Cavaco Silva tirou completamente o tapete ao Governo».

A comentadora de política da TVI refere que «o Governo já tinha a credibilidade completamente minada» e que agora «só faltava ficarem a saber que estão a prazo».

«Como é que o Governo pode assegurar as medidas que garantam as 8ª e 9ª avaliações? Como é que vai conseguir impor os cortes de 4,7 mil milhões?», pergunta.

Constança Cunha e Sá afirma que «o Presidente quer uma espécie de quadratura do círculo: foi claro que apoia a política do Governo, não o Governo.»

«Não me parece que este compromisso tenha pernas para andar», diz a comentadora da TVI perguntando «que vantagem é que existe em prolongar um Governo que está morto e que o Presidente ajudou a enterrar»?

Constança Cunha e Sá conclui: «O Presidente diz que estes senhores não tiveram capacidade para resolver a crise que criaram. Não aceita a solução deles. A consequência é óbvia: devia marcar eleições.»

Mas se não podemos ir para eleições por causa dos mercados, frisa, «o que se tira das palavras do Presidente é um pouco está suspensa a democracia pelos tempos mais próximos» sendo que «o que o Presidente nos propõe é umam paz podre».

«O Governo neste momento não tem condições para governar» afirma Constança Cunha e Sá questionando «como é que o Presidente acha que o Governo tem condições para fazer um orçamento».